terça-feira, 24 de outubro de 2017

Pergaminhos do Cosmão Vol. 4 - O Sentido da Jogatina




Qual o sentido de se jogar videogame? O que você busca quando aperta o power ou enquanto programa aquela jogatina, naquele tempo livre tão escasso nos dias de hoje? Se superar? Passar o tempo? Desligar-se do mundo real? Relaxar? Ou apenas se divertir? E no que está baseada essa diversão? No jogo escolhido ou no que a jogatina em si representa para você?

Quando se é jovem, talvez essa seja uma resposta mais fácil de ser alcançada. Mas, quando já se acumula uma boa idade, com compromissos minando cada vez mais seu tempo livre, é preciso refletir sobre tal questão que envolve nosso hobby preferido: jogar videogame.

Embora o assunto tratado aqui tenha em vista a jogatina retrô (seja emulada ou no sistema original - tanto faz no final das contas), também pode ser extendido para jogatinas em consoles mais modernos e novos. Afinal, a diversão precisa sempre prevalecer? Ou apenas proporcionar um momento de desligamento do mundo externo? E esse é o ponto central de tudo e é o assunto que resolvi trazer hoje para mais um pergaminho...

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

NostalDia das Crianças - Kirby Epic Yarn


Quando não temos um determinado console, é natural ver alguns jogos e praticamente guardar na memória alguma coisa dele que te acaba marcando. E, neste ano de 2017, eu pude realizar o sonho de ter um Nintendo Wii. Sim, já fui muito crítico do Wii na época de seu lançamento, mas, ao longo dos anos, é nítido ver que alguns títulos para o pequeno console da Nintendo tem um potencial enorme para te encantar. E foi assim, dessa forma mesmo, que imaginei que Kirby Epic Yarn fosse, desde quando vi as primeiras telas em alguma matéria, sobre alguma E3 da vida

Hoje, aproveitando este grande evento criado pelo ilustríssimo Yoz, o NostalDia das Crianças, pretendo contar um pouco a minha história com esse jogo, além de relatar também como foi a experiência do meu pequeno filho de 5 anos que jogou ele por inteiro. Espero que todos apreciem, pois, apesar de um visual fofinho, Kirby Epic Yarn esconde uma experiência tão prazerosa com videogames que fica difícil de listá-lo ao lado de outras obras. E é engraçado, pois é justamente o que eu imaginava dele assim que o vi pela primeira vez...

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Hacks & Traduções - Volume III



Escrever sobre hacks interessantes e traduções aqui no blog está sendo uma experiência muito gratificante. Além de poder mostrar à vocês boas versões de ótimos jogos, além das traduções, eu também acabo conhecendo muita coisa que pode ser agregada às minhas jogatinas. Pois bem, o terceiro volume já está prontinho e aqui estou eu trazendo à vocês, mais 6 jogos, três traduções e três hacks bem interessantes que todos deveriam ao menos experimentar. Como de praxe, todos tem links para download dos IPS e o tutorial de como aplicá-los se encontra neste link aqui > Aplicando Patchs.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

NostalDia das Crianças! Participe você também!


Como alguns já estão sabendo, o Yoz, do blog Gamer Desconstrutor, está promovendo uma corrente muito criativa sobre o Dia das Crianças. Nela, produtores de conteúdo em blogs ou canais do Youtube podem participar indicando jogos para crianças de até 12 anos, sejam jogos criativos, sejam jogos simples, básicos ou que tragam consigo alguma carga emocional interessante. Achei uma proposta muito boa e vou participar, mas espero que todos vocês que me seguem e que possuem blogs ou canais, participem também.

A idéia é juntar uma galera, seja das antigas ou seja das atuais, para, além de divulgação de links, promover um encontro de matérias interessantes. Acredito que, além de muitas informações, vamos acabar descobrindo muitos jogos interessantes tanto para nossos filhos/sobrinhos/netos/enteados, quanto para nós mesmos. Eu mesmo estou participando e já deixei pronto o meu texto sobre um jogo muito especial pra mim. 

Conto com a participação de vocês e gostaria muito de vê-los nesta corrente tão sadia e criativa! As informações sobre tudo vocês encontram no blog dele, o Gamer Desconstrutor, ou neste vídeo aqui:




Até mais!

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Gunple: Gunman's Proof (Super Famicom)


É até difícil de se encontrar, na internet,, informações concretas sobre a produtora Lenar, que produziu um dos jogos mais simples e divertidos que descobri recentemente: Gunple Gunman's Proof (também chamado de Ganpuru Gunman's Proof), para o Super Famicom. Até onde se sabe, Lenar também produziu mais dois jogos: Birk Week, para o Famicom e Mercenary Force, para o Game Boy. Ambos os jogos tem pouca ou nenhuma característica em relação ao Gunman's Proof, mas fica como curiosidade.

Nesta terceira produção da empresa, o estilo gráfico usado foi bastante inspirado em The Legend of Zelda: A Link to the Past. Desde o sistema de mapas, seja o world map ou em dungeons, até mesmo a locomoção do personagem, cidades e interiores de casas, tudo lembra bastante o jogo da Nintendo. Mas, as semelhanças acabam por aí.

Gunman's Proof tem uma sólida campanha de jogo, com grande ênfase em armas de fogo, inimigos e evolução do personagem, diferente de Link, que fazia mais uso de ferramentas para avançar na jornada. E é baseando-me nessas diferenças que pretendo descrever esse jogo um tanto desconhecido para vocês neste pequeno relato.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

O Desconhecido & Bizarro - Mega Drive (Vol.1)



No começo do mês de Julho, vocês conferiram uma pequena lista de jogos mais desconhecidos e alguns bem bizarros para o Nintendinho, o volume 1 do console. A lista compreendia desde games não lançados, protótipos e até mesmo jogos lançados e licenciados, mas bizarros demais pra alcançar o grande público ou se tornarem populares. Desta vez, trago mais uma pequena lista, mas agora do 16 bits da Sega, o querido Mega Drive.

Novamente, alguns são jogos nem lançados, outros protótipos e mais outros simplesmente desconhecidos. Alguns ruins, outros piores e até mesmo jogos razoáveis. Com vocês, O Desconhecido & Bizarro, versão Mega Drive!

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Hacks & Traduções - Volume II


Vamos para o segundo volume de jogos traduzidos e hacks bacanas que eu encontro pela internet. Neste volume, coloquei 6 jogos ao invés de apenas 4 como no volume 1, mas esse número vai variar conforme as postagens sobre esse assunto. Hoje teremos versões para Bionic Commando do NES (com Hitler e tudo mais), um hack muito bacana de Super Mario World e a tradução de um RPG obscuro para Gameboy Advanced! Espero que apreciem, baixem os patchs, apliquem (tutorial aqui) e joguem bastante!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

10 Chefes Difíceis - Edição Beat'em Up



Já faz um tempinho que venho desenvolvendo a idéia de fazer um TOP 10 de chefes mais chatos, complicados e difíceis dos beat'em ups (também conhecidos como "briga de rua"). Não é uma tarefa muito fácil, haja vista que o mar de jogos desse estilo é gigantesco, e escolher apenas 10 chefes entre tantas possibilidades é complicado. Jogos de arcade então, a enorme maioria possui sempre um boss que foi feito pra te arrancar fichas, faça o que você fizer, entenda o quanto entender do jogo.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Especial 8 Anos de Shugames: 70 Jogos de PC-Engine & PC-Engine CD!



Chegou a hora de comemorar os 8 anos de Shugames! Como é tradição por aqui, a maioria das comemorações do blog é feita por uma lista com vários jogos de um determinado console. Já passaram por aqui o Master System, Mega Drive, Super NES, NES, Arcades e até o Atari 2600. Desta vez, o escolhido é um  pequeno notável, conhecido por essas bandas como Turbografx-16, ou, como comumente é chamado na internet, PC-Engine, ou PCE.

Lançado em outubro de 1987 no Japão e em 1989 na Europa e nos Estados Unidos, o PCE fez um relativo sucesso, principalmente no Japão, onde a maioria dos seus jogos vendeu o suficiente pro console ser cultuado até hoje. Mais tarde, entre tantas versões diferentes, o console foi relançado com um drive de CD, comportando jogos maiores em mídia de disco, algo até então inédito.

Mas, o post de hoje não é apenas para falar do PC-Engine, mas sim, do seu principal atrativo: os jogos. Nessa matéria, tentei reunir os jogos do sistema que todos deveriam ao menos experimentar. Então, nessa lista teremos desde jogos mais conhecidos até alguns não tão conhecidos, jogos ótimos, jogos bons e alguns jogos razoáveis, mas que fazem parte da biblioteca do sistema. E, todo sistema tem jogo bom e jogo ruim também. Enfim, espero que gostem, pois deu trabalho pra montar isso e deixar a lista o mais abrangente possível! Vamos relembrar ou conhecer os jogos do PC-Engine e do PC-Engine CD!


terça-feira, 18 de julho de 2017

Hacks & Traduções: Volume 1



O mundo do romhacking (ou DA romhacking) é vasto e cheio de coisas interessantes. O único porém é que, muitas vezes, se não acompanhamos de perto, ficamos sem saber o que realmente de bom acontece ou surge no horizonte. São tantos jogos bons que ainda estão restritos ao idioma japonês que nos faz acreditar que os videogames são infinitos, são jóias que vão nos entreter a vida toda - e, olhando para o romhacking, eu penso bem assim também.

Quero começar aqui no blog uma nova série, onde pretendo trazer, vez ou outra, alguns hacks e traduções que forem pintando pela internet. Os mais interessantes serão trazidos aqui, juntamente com links para download e uma pequena descrição, sem muita profundidade, apenas dizendo do que se trata e os testes feitos. Espero que todos gostem e aumentem sua gama de jogos para jogar (se já não for gigante como a minha). Vamos lá!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Pergaminhos do Cosmão Vol. 3: O Colecionismo Exacerbado



Oito horas da manhã, de alguma sexta feira de 1992. A calçada de uma locadora de games está apinhada de moleques, vindos de todo canto da cidade com um único intuito: alugar seu jogo favorito. Aquele jogo que vai passar o final de semana. Ou aqueles cartuchos com quem vai interagir por pelo menos uns 2 ou 3 dias. Lhe pareceu familiar essa cena? Pois é, quem foi criança ou adolescente no começo dos anos 90, fatalmente frenquentou locadoras, alugou jogos e passou pela sensação de esperar a locadora abrir.

Muito além de apenas alugar jogos, locadoras naquela época eram verdadeiros templos de amizades e descobertas. Ali fazíamos amigos temporários, daqueles que davam dicas ou aguardavam ansiosamente você perder a última vida pra assumir o controle - no caso dos consoles alugados por hora. Muitas foram as experiências que, por alguns minutos apenas, deixaram impressas em nossas mentes pequenos frames de jogos que iríamos redescobrir no futuro, graças à emulação e à internet.

Mas, onde eu quero chegar com toda essa reflexão sobre o passado? À um simples ponto, caro leitor: o colecionismo e a falsa sensação de aproveitamento dos jogos nos dias de hoje. Bora pra mais um pergaminho? Acomode-se e siga com a leitura então!

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Wacky Races (NES)


O ano é 1992, um ano em que muita coisa interessante acontecia no mercado gamer. Pra vocês terem uma vaga idéia, foi o ano de lançamento de Sonic 2 no Mega Drive, Super Mario Kart no Super NES e de Megaman IV no NES. Enfim, eis que surge um jogo baseado em um desenho bastante famoso na época: Wacky Races, ou Corrida Maluca, traduzido aqui pra gente do Brasil!

E qual foi a surpresa do primeiro jogador que ligou seu saudoso Phantom System na época, após chegar correndo da locadora com seu cartucho recém alugado, e notar que, apesar do nome do jogo, de corrida ele não tinha nada?

Sim amigos, Wacky Races estréia a nova temporada de reviews/análises/resenhas ou como você quiser chamar, aqui no Shugames! Um game baseado em um desenho de corrida, mas que é de plataforma e, se querem saber, é um jogo muito divertido! Bora lá!


quinta-feira, 6 de julho de 2017

O Desconhecido & Bizarro - NES (Vol.1)



Há um bom tempo eu venho programando esse post, com base em jogos que, ou não foram lançados ou então são estranhos demais. Claro, muitas pessoas devem ter jogado esses protótipos, bizarros e não-lançados de forma oficial via locadora na época, com cartuchos modificados vindos diretamente de sei lá onde. Acho que um dos casos mais notáveis daquela época foi o Darkwing Duck trocado com Megaman 6 (ou 5, não me lembro), em que colocavam o Megaman nas fases do pato espião.

Enfim, neste post especial, pretendo resgatar uma lista de 8 jogos desconhecidos e bizarros, em alguns casos são até mesmo protótipos, alguns mais caprichados, outros praticamente injogáveis. Com vocês, o primeiro especial dos 8 anos de Shugames!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Retornando às atividades... ou quase isso!


Há alguns dias eu venho pensando: "que saudade de quando eu escrevia no meu blog...". Quem me acompanha no facebook, ou acompanha o Clube da Jogatina por lá, sabe que, ultimamente, a onda de retrogames e retroblogs parece estar ensaiando uma volta, um verdadeiro revival de uma época remota, onde muita gente boa surgiu escrevendo sobre jogos velhos. O Gagá, talvez o maior expoente dessa galera, recentemente voltou com seu blog, num formato mais descontraído, sem muita pretensão, sem prometer muita coisa, apenas pelo prazer de escrever sobre o que ele anda jogando e indicar jogos para seus leitores.

Bom, e o que eu pretendo com esse post agora, do nada, quase à beira do blog completar 8 anos? Primeiramente, eu não quero sair prometendo nada, nem fazendo mil planos, anunciando novas seções, novos projetos pro blog. Mas, aos poucos, quero voltar a fazer o que eu fazia e que me dava muito prazer: escrever. Seja sobre jogos velhos, seja sobre jogos que lembrem jogos velhos, seja sobre o mercado, sobre a arte que é o videogame hoje em dia e todas as suas vertentes. Andei jogando muita coisa nesse período de reclusão do Shugames, muitas experiências novas e acho que já acumulei alguma bagagem para teclar algumas linhas pra vocês.

Como eu mencionei, não é uma volta definitiva, muito menos uma volta ao que o blog era, mas já é alguma coisa, não? A última postagem por aqui faz quase um ano (foi em dezembro de 2016), então, acho interessante dar uma atualizada na coisa antes que os últimos que ainda perdem algum tempo lendo isso aqui acabem indo embora de uma vez hahaha!

Bom, é isso que eu tinha pra dizer. No momento, a única coisa que posso dizer é que estou preparando algumas matérias novas pro blog, bem como alguns textos sobre jogos velhos, alguns pergaminhos e até ensaiando um novo detonado. Tudo depende do meu humor no dia, mas eu sinto que eu precisava fazer isso, ou eu vou enlouquecer. Enfim, vida nova, vamos tocar o barco que o tempo não para! Até lá!

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Séries de Sucesso Vol. 2: A Saga Illusion



Este post de hoje tem como principal objetivo, refazer o post que lancei há muito tempo, quase no comecinho do blog, quando falei da série Illusion e de todos os jogos referentes à ela lançados até então. Naquela época, o blog tinha uma outra abordagem, muito mais amadora e sem a preocupação de se atentar aos fatos relacionados à série, o que acabou tornando o post um gigantesco detonado de todos jogos. Desta vez, assumindo uma abordagem voltada mais para a informação (mas sem deixar de lado os pormenores de cada jogo), resolvi escrever sobre essa série tão amada nos consoles da Sega da década de 90.

Dito isto, espero que todos apreciem esse post sob uma nova perspectiva, mais informativa e ilustrada com o que havia de melhor em todos os jogos da série clássica.


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Hyper Iria (Super Famicom)

Existia uma época onde, para poder jogar algum game no nosso amado console, tínhamos que ir á um lugar chamado locadora. Nesta locadora, vários jogos estavam disponíveis e, dependendo do dia em que você fosse lá, teria mais ou menos opções de jogos conhecidos. Muitas vezes, pegávamos jogos que nunca tínhamos ouvido falar, às vezes pela capa, às vezes só vendo alguma telinha na parte de trás da caixa.

E eu aposto que Hyper Iria, caso algum sortudo que está lendo este artigo o tenha conhecido na época, tenha sido um caso desses, um jogo que possa ter fascinado pela capa e acabou deixando quem alugou mais perdido que cego em tiroteio.

Isso porque o jogo nunca foi lançado por essas bandas, então, o idioma original é o japonês. Como se trata de um jogo que depende de leitura e interpretação para poder avançar no mesmo, muitos jogadores que encararam a versão de Super Famicom na época ficaram bem perdidos. Com o advento da emulação, muitos jogos excelentes e exclusivos daquele mercado nipônico ganharam uma tradução, seja para o inglês, seja para o português. Hyper Iria se encaixa na primeira opção, vindo a ganhar uma tradução completa em agosto deste ano de 2016.

Dessa forma, hoje em dia, quem não entende nada de japonês, poderá desfrutar desse que é um excelente jogo e entender tudo que se passa nele. É disto que se trata a análise de hoje no Shugames. Vamos descobrir o que é Hyper Iria, do Super Famicom!