sexta-feira, 13 de novembro de 2015

7 RPGs Estratégicos que Você Deveria Conhecer



Os RPGs de estratégia, ou Strategic RPGs (sendo a sigla S-RPG), são aqueles jogos que demandam MUITO tempo e MUITA dedicação do jogador. Geralmente, jogos assim requerem total atenção e precisam de tempo para que possam ser terminados e aproveitados ao máximo. Tanto é que, quem acaba se dedicando à qualquer jogo desse estilo, dificilmente consegue conciliar outro jogo do mesmo estilo para jogar junto.

Deixando de lado a maioria dos S-RPGs famosos, como Final Fantasy Tactics ou da série Shining Force e Fire Emblem, resolvi listar aqui 7 jogos desse estilo que todo mundo QUE GOSTA desse tipo de jogo deveria, ao menos, experimentar. São 7 jogos bem interessantes, alguns mais profundos que os outros, mas que, de uma forma ou de outra, deveriam ter um pouco da sua atenção.


7 - Brigandine: The Legend of Forsena (Playstation)
Lançamento (USA): 1998

Brigandine é um dos RPGs estratégicos do PS1 que foi bastante injustiçado em sua época, pois não recebeu a atenção devida. Afinal, em 1998, além dos jogos baseados na Copa do Mundo, outros medalhões como Xenogears e Parasite Eve também estavam saindo, o que ajudou a obscurecer esse grandioso jogo da Atlus.

Contratempos à parte, Brigandine é um excelente jogo, que mescla estilos 2D e 3D de maneira única, permitindo estratégias de combate que ainda não tinham sido experimentadas anteriormente por qualquer outro jogo do estilo. Aqui controlamos um héroi com um grupo de monstros, com os quais ele deve avançar e conquistar outros reinos usando para isso batalhas estratégicas. Em suma, temos 6 nações diferentes que podem ser escolhidas pelo jogador antes de começar o jogo, onde ele deverá avançar e destruir todas as outras para poder ter êxito na história.



Um dos fatores mais interessantes de Brigandine são os dois estilos usados no jogo: temos o controle no mapa e nas batalhas. O negócio funciona de forma parecida com Shining Force, só que sem o elemento de profundidade de personagens presente no jogo da Sega. Você dispõe sua tropa de monstros e aliados pelo cenário e, assim que encontrar um inimigo, a batalha muda para um plano 2D para mostrar o embate dos dois. Esse modo pode também ser desligado pelo jogador, a fim de ter mais dinamismo e rapidez nas batalhas.

Pra quem gosta do estilo S-RPG (se você está lendo até agora, provavelmente deve gostar muito desse estilo), Brigandine é um jogo extremamente recomendável, mas tenha em mente que a aventura é extremamente longa.

6 - Warsong (Mega Drive)
Lançamento (USA): 1991

Warsong (Langrisser no Japão) chegou ao Mega Drive em 1991 pelas mãos da Treco e foi o único jogo da série Langrisser a ser lançado por essas bandas. Ele ainda chegou a receber remakes para Playstation e Sega Saturn anos depois, jogos esses que ficaram restritos ao Japão. Por essas e outras, Warsong é um jogo bastante obscuro do Mega Drive, tanto pelo seu estilo ser RPG estratégico (em um console com a série Shining Force), quanto por se tratar de uma série quase que exclusiva do território japonês.

Em Warsong, similar ao que ocorre em Brigandine, controlamos uma tropa de soldados liderados por um ou mais comandantes, onde a principal característica dessas unidades é se manterem próximas para terem mais sucesso nas batalhas. Seus comandantes são personagens fixos, ou seja: se um deles morrer, morrerá pelo resto do jogo, não sendo possível revivê-lo como na série Shining Force, por exemplo.



Sob o aspect estratégico, Warsong brilha com seus 20 cenários bem diferentes entre si, onde calcular a aproximação das suas tropas e saber o momento certo de obter vantagens sobre os inimigos é primordial. Seus personagens também recebem promoções ao alcançar os níveis mais altos, adicionando uma boa estratégia ao jogo, já que entender as classes e saber distinguir um cavaleiro dragão de um cavaleiro mágico muitas vezes é a chave para o sucesso aqui.

5 - Vanguard Bandits (Playstation)
Lançamento (USA): 2000

Conhecido no Japão como Epic Stella, Vanguard Bandits traz o melhor do S-RPG misturado com o tema medieval e... mechas. Sim, similarmente ao que ocorre na série Front Mission, aqui controlamos diversos mechas invocados, mas sem o mesmo sistema de configuração robusto da série da Square. A história que engloba toda essa salada de temas é sobre uma guerra que já estava durando muito tempo, até que um dos reinos envolvidos encontrou um robô gigante ancestral e conseguiu religá-lo, tornando-o ativo novamente. Usando esse mecha, eles pretendem finalmente por um fim na guerra, mas vão ter que enfrentar os inimigos que também fazem uso dos mesmos.

Se a história é meio sem sentido, o mesmo não pode ser dito do gameplay, que é bem bacana e competente. Cada mecha possui um robusto sistema de ataques diferentes, baseados nos seus pilotos, que além de causarem dano nos inimigos, também variam a forma como o mecha reage aos ataques, ou seja: os robôs também se desgastam e é importante o jogador ter um bom controle disso se quiser vencer.



O jogo oferece também um sistema de moral incluso, onde é possível até mudar de time em determinado momento do jogo, tudo dependendo de suas ações na história. O visual é bem interessante, adotando um estilo isométrico bastante similaro ao do clássico Final Fantasy Tactics, além de mudar os gráficos para poligonais quando dois mechas se encontram no campo de batalha, uma característica presente em Brigandine.

4 - Dark Wizard (Sega CD)
Lançamento (USA): 1994

Lançado em 1994 para o Sega CD, Dark Wizard brilha como talvez o único jogo do estilo no sistema. Aqui controlamos 1 dos 4 guerreiros principais, com a missão de reaver o reino outrora roubado por um vilão maligno. Cada personagem confere uma história diferente, com inimigos e mapas diferentes, mas que não se unem em termos de enredo. Eles também possuem unidades que os ajudarão durante as batalhas. O jogo possui ótimos gráficos e adota o estilo hexagonal de mapas, muito comumente utilizado em jogos de estratégia militar.



Um dos lances interessantes de Dark Wizard, além do seu visual bem caprichado, é a possibilidade de, para cada um dos 4 personagens principais, recrutar mais dois personagens extras sob algumas condições, como por exemplo acontece na série Suikoden, da Konami.

3 - Stella Deus: The Gate of Eternity (Playstation 2)
Lançamento (USA): 2005

Eis que surge aqui no blog o PRIMEIRO jogo de Playstation 2. E o que isso quer dizer? Absolutamente... nada. Voltando à lista... Stella Deus foi feito pela lendária Atlus e só poderia resultar num jogo extremamente bem feito como ele realmente é. Eu decidi colocar esse único jogo do Playstation 2 por aqui por ele ter justamente todas as características pra poder participar da lista. Ele é relativamente antigo (saiu faz 10 anos), é um autêntico RPG de estratégia e é também muito, mas MUITO obscuro! Eu não lembro de ninguém comentando esse jogo em lista alguma, o que contrasta completamente com sua qualidade.

Stella Deus foi idealizado e produzido por um time bem consistente de produtores, artistas e programadores que produziu jogos como Hoshigami (PSX), a série Record of Lodoss War, a série Persona entre tantos outros. É realmente uma galera de respeito e só por esse fato você, que gosta do gênero, deveria ao menos dar uma olhada nele. A história dele começa no meio de uma missão do herói principal, onde conflitos entre diversas facções religiosas povoam todo o enredo e dão o tom geral da obra.



O visual de Stella Deus é um dos seus maiores chamativos. Todos os cenários e personagens foram desenhados à mão, bem como animados com uma qualidade rara até mesmo nos dias de hoje. Como todo e qualquer RPG estratégico ou não, o jogo começa lento, devagar, mas logo toma ares de uma grande produção, com cenários vastos, personagens marcantes e alguns combates realmente difíceis de serem vencidos. Eu costumo comparar a dificuldade de Stella Deus com o primeiro Vandal Hearts e isso é um grande elogio ao jogo.

2 - Feda: The Emblem of Justice (SNES)
Lançamento (JPN): 1994 (possui patch de tradução)

Feda foi concebido originalmente para o Super Famicom, mas recebeu um patch de tradução em 2009 que o traduz por completo em inglês. Para baixar e aplicar o patch, eu escrevi um tutorial faz um tempinho e você pode acessá-lo aqui. O game também lembra bastante a série Shining Force do Mega Drive, tanto em execução quanto no gameplay do mesmo, mas diferente no plot. Aqui a história gira em torno de dois cavaleiros forçados a lutar contra um império corrupto que antes eles serviam.

A execução do jogo se dá de duas formas: explorando cidades normalmente, onde conversamos com NPCs e visitamos lojas e casas, e a batalha em si. As batalhas se dão de forma bastante parecida (pra não dizer idêntica) às da série Shining Force, com sua tropa colocada num mapa junto com os inimigos visíveis. Ao encontrar uma unidade inimiga, ambos lutam e uma tela mostra o embate, bem como barras de energia e outras informações.



A diferença crucial entre FEDA e Shining Force é que o jogador pode terminar a maioria das batalhas de duas formas: ou matando todo mundo ou procurando um meio de evitar tantas mortes e assegurar a paz. Esses dois modos acabam por alocar o jogador como um lutador pela justiça ou causador do caos. Óbviamente, optar por um dos caminhos revela personagens diferentes durante o enredo, que é bastante rico em detalhes.

1 - Saiyuki - Journey West (Playstation)
Lançamento (USA): 2001

Ao contrário do que muitos imaginam, até mesmo pela raridade desse jogo, Saiyuki saiu oficialmente no mercado americano em 2001, pelas mãos da Koei. O jogo, um robusto RPG estratégico muito parecido com Final Fantasy Tactics, toma emprestada a lendária história chinesa Journey to the West, sobre um monge budista que visita regiões da Índia em busca de pergaminhos e precisa enfrentar uma série de desafios para tal. A história do jogo segue mais ou menos a mesma coisa, colocando o herói seguindo da China para a Índia, com a participação de personagens lendários como Son Goku pelo caminho.

O jogo em si empresta muito do clássico Final Fantasy Tactics no gameplay, adicionando aí a possibilidade dos personagens principai se transformarem em feras indomáveis durante as batalhas, garantindo assim poderes melhores para destruir os inimigos. O jogo conta com vários personagens secundários que são recrutados conforme o avanço do jogador.



Muito de Saiyuki só foi conhecido com o advento da internet, pois, mesmo o jogo sendo lançado oficialmente em território americano pela Koei, poucas pessoas o conheceram na época e lhe deram o devido valor. O jogo possui uma boa história, com ótimos personagens e o gameplay característico do estilo. O visual é bastante caprichado, principalmente pelos modelos dos personagens e os cenários bem variados. Uma forte recomendação pra quem gosta do estilo.

28 comentários:

  1. Desses zerei pelo menos 3. Bringandine, Langrisser (Warsong é o nome genérico para a versão americana ) é Vanguard Bandits

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joguei pouco Brigandine mas acompanhei a saga do Gagá quando ele jogou Langrisser (também não gosto do nome Warsong) até o fim.

      Excluir
  2. Caramba Cosmão, cada artigo um melhor que o outro, tá inspirado. hehe
    Parabéns, já acompanho faz 2 anos o site, posso dizer, que é o melhor site relacionado aos games antigos. Mesmo que o Shugames tenha ficado parado algumas vezes, você sempre buscou se explicar e tentar trazer novos conteúdos o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu agradeço a preferência. Estou tentando manter uma regularidade de pelo menos um post por semana, o que já não é fácil com a vida corrida que todo mundo leva hoje em dia. Mas, vamos tocando o barco sempre hehehe!

      Excluir
  3. Cosmão, que lista!

    Apesar de achar Shining Force um jogão, confesso que RPG estratégico não é muito a minha. Aliás, o máximo que já joguei de estratégia foram os jogos da série Advanced Wars (do GBA). Esses eu acho fantástico. Já passei horas em alguns mapas pensando em estratégias para ganhar do adversário.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Advanced Wars (tanto o primeiro quanto o segundo) são jogos exemplares de estratégia, apesar de não serem RPGs. Eu também já fiquei horas jogando eles, mas nunca consegui terminá-los. Chega um momento que o jogo pede uma estratégia tão minuciosa que somente poucos conseguem avançar...

      Excluir
  4. Uau, só conhecia um! Parabéns pelo post!!!! Amo esse estilo de jogo.

    ResponderExcluir
  5. Que beleza! Poucos desses jogos eu conheço. Vou comentar os que já vi, se bem que jogar eles mesmo, à fundo, não joguei.

    Quanto ao Warsong, eu preciso dar uma segunda chance ao jogo. Impressionou-me muito quando o experimentei; achei um tanto difícil, mas prometi a mim mesmo que um dia voltaria a ele para ir até o final. Ah, mas é tanta coisa para jogar...

    Acreditas que eu tenho o CD do Dark Wizard e eles não funciona? Tentei limpar ele, apesar de não ter nenhum arranhão, mas não teve jeito, não roda no meu Sega-CD. Que lástima.

    Feda me impressionou pelos gráficos, mas o idioma me afastou de uma experiência mais profunda. Quem sabe agora com o patch? Valeu pela informação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, vc tem o cd do Dark Wizard? Ainda vou arrumar um tempo pra jogar ele, mas são muitos jogos na fila aqui e TEMPO é um recurso RARO nos dias de hoje...

      FEDA é outro que eu gostaria muito de jogar tbm, mas cadê o tempo?

      Excluir
  6. O Super Famicom tem uma boa gama de jogos obscuros no estilo que merecem ser melhor estudados, isso se a pessoa tiver paciência de navegar nos menus japoneses.

    Um jogo nesse esquema que é bem obscuro é o "Mobile Suit Gundam - Cross Dimension 0079"; que, como se pode imaginar, é com os robôs gigantes baseados na série original japonesa. É simples e estranhamente divertido.

    Existe um jogo de guerra também muito interessante - ao que me parece - chamado "Sgt. Saunders' Combat!". Mas não fui muito à fundo nele por causa do idioma, mas tem gráficos interessantes.

    E ainda tem o "pai" de Final Fantasy Tactics: "Tactics Ogre - Let us cling together". Cujo cartucho eu tenho e estou jogando - no momento estou no capítulo 2 - sem dúvida um dos melhores jogos do gênero para o console. Pena mesmo eu não entender nada da história, porém, e eu tenho mania disso, quando não entendo algo fico inventando na minha cabeça o que está acontecendo no roteiro, o que torna a jogatina mais divertida. Além de contar com músicas da dupla Masaharu Iwata e Hitoshi Sakimoto, que depois trabalhariam com muito sucesso no "filho".

    Não vou falar sobre a série Romance of the Three Kingdoms porque acho que não se enquadra no tema, como muitos dos jogos da KOEI que acabam misturando administração com estratégia; conceituo-o como outro segmento do mesmo gênero. Pois a postagem, penso eu, são para os títulos que mais se assemelham, como exemplo, ao Shining Force, que foi diversas vezes citado. Contudo, lembro de um dia desses ter topado com um jogo da série Romance neste estilo, pena não ter guardado o nome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de terminar a lista, eu tinha experimentado vários jogos de estratégia, mas optei pelos RPGs desse estilo menos badalados. Tactics Ogre é um excelente jogo pro SNES e que foi portado pro PS1, que foi onde eu conheci o jogo. Esse de guerra eu não conheço (valeu a dica), mas tem outro que testei e gostei, o Super Conflict.

      Excluir
    2. Conheço o Super Conflict, tem estilão bem clássico de estratégia, me lembra o "Desert Commander" do NES, que também é ótimo.

      Acho que achei o jogo da série Romance of the Three Kingdoms que era de estratégia. É este aqui:

      http://emu-russia.net/br/roms/snes/0-Z/full/Tenchi-wo-Kurau---Sangokushi-Gunyuuden/

      Excluir
  7. Mais outra lista das boas contendo micro reviews por assim dizer, desses joguei o Dark Wizard e Saiyuki, e tão aprovados. O Warsong vou jogar ainda pra emendar com o Langrisser 2, parecem ser de boa qualidade.

    Esses dias lá no blog teve o review do Hybrid Front, um excelente jogo de estratégia futurista pra mega drive restrito ao japão, o interessante dele era acontecerem conflitos até fora da Terra com um design bem sóbrio. Arte e musica de alta qualidade, se curte estratégia pode ser que ache bem maneiro o jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou dar uma olhada nesse Hybrid Front, fora do campo do Shining Force e do Warsong, acho que o Mega Drive não tem muitas opções nesse estilo à não ser esses jogos mais obscuros.

      Excluir
  8. Não sou muito chegado em RPGs de estratégia... o único que realmente gostei de jogar foi o primeiro Front Mission de Super Famicon (Snes), e até estranhei ele não estar na lista já que, embora a série seja bem conhecida, o primeiro game era bem obscuro.

    ResponderExcluir
  9. E ai Cosmão beleza kra só jogão ai hein desses 7 S-RPG eu conheço 4 jogos e só joguei um deles que foi o Vanguard Bandits que pelo que me lembro era bem maneiro viu mas não cheguei a zerar ele.Mas lendo a respeito sobre eles vou adicionar alguns deles na minha lista se não me engano saiu pra o psone o Feda 2 também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estranhamente eu joguei Vanguard Bandits e também não avancei muito não, talvez pelo volume de jogos que eu estava jogando na época.

      Excluir
  10. Blz Cosmão!!!! Como sempre trazendo excelentes posts sobre este mundo tão fantástico e cheio de gratas surpresas!!! Ps. Lendo seu post me lembrei de um ótimo artigo do Sir Kao (retrofantasy) a muito tempo falando dos RPG's de SNES perdidos no Japão e como temos ainda muitos jogos bons e não explorados por nós e muitos tem até traduções para o ocidente ....
    Parabéns novamente, pelo excelente artigo...
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Marcelo! Eu me lembro bem do excelente blog do Sir Kao, que infelizmente não existe mais e lembro também desse post dele! Muito jogo bom, o SNES e o PS1 estão lotados de jogos excelentes que nunca viram esse lado do mundo!

      Excluir
  11. Ah! Faltou Shinning Force do Sega Saturn, era muito bom também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não coloquei nem Shining Force, nem Fire Emblem, Tactics Ogre ou Final Fantasy Tactics pelos motivos citados no início do post. Preferi focar em jogos mais desconhecidos e menos badalados.

      Excluir
  12. Curioso que eu gosto muito do gênero, tenho FFT como meu jogo favorito de todos os tempos e ainda assim não conheço tantas opções.
    Quanto aos jogos...
    Brigandine parece muito bom mesmo. Vindo da Atlus, tem meu voto de confiança. Vou experimentar algum dia. Haja tempo!
    Warsong eu conheço de ouvir falar, mas ainda estou mais interessado no Der Langrisser do SNES, sei lá pq. Acho que pq me falaram tanto desse jogo que eu fiquei extremamente curioso (e pq devo um review dele lá no Retroplayers... kkk).
    Vanguard Bandits pareceu, bem a grosso modo, Xenogears Tactics. Exagerei? kkk... história confusa, mechas... pô, tem a base de Xenogears!
    Dark Wizard parece servir de prova pras pessoas que tem jogos bons no SEGA CD... hehe
    Os últimos três jogos eu sequer tinha ouvido falar ou lido a respeito, parecem legais. O FEDA com outro meio de terminar batalhas pareceu ser muito interessante. Mas o que mais chamou a atenção foi Saiyuki. Definitivamente.
    Outro ótimo post, Cosmão!
    Vou considerar todos esses jogos assim que eu terminar o FFTactics pela nona vez na vida... falta pouco... uns 2 meses... kkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Warsong o Gagá fez um diário dele no blog dele faz uns dois milênios, recomendo bastante a leitura. Os outros, vai jogando devagar, mas eu incluiria no topo dois jogos pra ontem: FEDA e o Saiyuki!

      Excluir
  13. Eu não sou muito fã de jogos de estratégia, mas tem uma série do PS1 que eu curti muito mesmo chamada Vandal Hearts.

    ResponderExcluir
  14. Já jogaram "Mercenaries Saga 2: Order Of The Silver Eagle" (3DS) ?
    Aí vai um review, para quem quiser conhecer:

    http://www.nintendolife.com/reviews/3ds-eshop/mercenaries_saga_2_order_of_the_silver_eagle

    Parabéns pelo site!

    ResponderExcluir